outubro/2015 Semana Nacional do Trânsito 2015 – 18 a 25 de setembro – MICHELIN: DICAS PARA UM TRÂNSITO MAIS SEGURO – PNEUS DE CARGA

MICHELIN: DICAS PARA UM TRÂNSITO MAIS SEGURO

  bib

Neste ano, a Semana Nacional do Trânsito incentivará motoristas, pedestres e ciclistas a refletirem sobre suas atitudes nas ruas e rodovias. Aderindo ao tema da campanha em 2015, “Seja você a mudança no trânsito”, a Michelin dá dicas aos motoristas de transporte de passageiros e carga, provando que cuidados básicos com os pneus não apenas evitam o seu desgaste prematuro, comoproporcionam uma maior segurança a todos.

ALINHAMENTO

“O alinhamento dos eixos de caminhões e ônibus deve ser realizado a cada 15 mil km, ou quando o desgaste irregular for identificado”, alerta Marcelo Silva, Responsável de Marketing Produto Brasil de pneus de Caminhão e Ônibus da Michelin. Segundo o especialista, este hábito proporciona:

  • Redução do custo de manutenção. “Em média, cada 1 milímetro de desalinhamento provoca a perda de 7% de quilometragem do pneu naquela vida. Além disso, o pneu se mantém na posição em que foi montado, evitando custos de movimentação do mesmo (o custo de movimentação do pneu é de aproximadamente 30 reais por evento)”, explica.
  • Menor consumo de combustível: o desgaste regular da banda de rodagem diminui a resistência ao rolamento e, consequentemente, gera um menor consumo de combustível.
  • Maior segurança: quanto maior a regularidade no desgaste da banda de rodagem, maior estabilidade do veículo e, consequente, maior segurança no uso.

BALANCEAMENTO

Além de vibrações, a verificação do balanceamento deve ser feita sempre que houver substituição de pneus, câmaras e elementos do conjunto rodante (pastilhas de freios, rolamento da roda, peças da suspensão etc) ou quando for efetuado conserto nos pneus ou nas câmaras.

“Todo conjunto rodante instalado no veículo está sujeito a desequilíbrios que influenciam o desgaste normal do pneu e do conforto, além de reduzir a vida útil dos rolamentos, dos amortecedores e elementos da suspensão e direção do veículo. Os inconvenientes dos desequilíbrios são corrigidos através da operação de balanceamento dos conjuntos rodantes”, aconselha Marcelo Silva.

MANUTENÇÃO DAS RODAS

“As rodas podem apresentar oxidação por vários motivos. Entre eles, a idade avançada, que é um desgaste natural provocado pelo longo período de utilização, a corrosão por umidade ou produtos químicos e a degradação do esmalte de proteção por ferramentas inadequadas”, enfatiza o Responsável de Marketing Produto.

Para reduzir ou evitar umidade na parte interna do pneu e da roda – e, consequente, oxidação -, evitando danos futuros ou perdas prematuras no pneu, ele aconselha:

  • Não montar pneus molhados ou com umidade interna.
 
  • Não montar câmaras e protetores com umidade (no caso de pneus com câmara).
 
  • Drenar o compressor de ar frequentemente (diariamente, quando muito utilizado) para retirar a água de condensação do ar acumulada.
 
  • Utilizar pasta de montagem com composto vegetal para lubrificar pneus, na montagem e desmontagem, no lugar do composto líquido (água e sabão), já que a água permanece dentro do pneu e oxida a roda.
 
  • Manusear rodas de aço com ferramentas e procedimentos adequados para evitar danos na pintura (esmalte ou tinta). Os danos na proteção/pintura da roda expõem o aço à oxidação.
 
  • Usar filtros no sistema de ar utilizado para inflar e calibrar os pneus.
 
  • Utilizar o nitrogênio - mais puro que o ar comum - para inflar e calibrar os pneus, a fim de eliminar totalmente a umidade.
 

A missão da Michelin, empresa líder na indústria de pneus, é contribuir para a melhoria da mobilidade das pessoas e das mercadorias de forma sustentável. Para isso, o Grupo Michelin fabrica e comercializa pneus para todos os tipos de veículos, de aviões a automóveis, passando pelos pneus para motocicletas e bicicletas, pneus para os equipamentos de mineração, de terraplanagem e de uso agrícola, assim como pneus para ônibus e caminhões. Michelin propõe também serviços informatizados de ajuda à mobilidade (ViaMichelin.com) e edita guias de turismo, de hotelaria e de gastronomia, assim como mapas e atlas rodoviários. O Grupo Michelin, cuja sede se localiza na cidade de Clermont-Ferrand, França, está presente em mais de 170 países, emprega 112,300 pessoas e tem 68 unidades de produção em 17 países diferentes. (www.michelin.com.br). O Grupo possui um Centro de Tecnologia encarregado pela pesquisa e pelo desenvolvimento com operações na Europa, na América do Norte e na Ásia. (www.michelin.com).

 Voltar
 

Copyright © 2015 MICHELIN todos os direitos reservados