Seleção 2016
Guia Michelin Há mais de um século contribuindo para o desenvolvimento da mobilidade.

O guia MICHELIN foi idealizado por André e Edouard Michelin, fundadores do Grupo Michelin, em 1900, quando a indústria automotiva ainda engatinhava – menos de três mil veículos circulavam nas estradas francesas.

Viajar, na época, era quase sempre uma aventura: trajetos longos, estradas mal sinalizadas… Mas, apesar dos obstáculos, os irmãos Michelin acreditavam no futuro do automóvel. Dispostos a contribuir para o desenvolvimento da mobilidade, eles começaram a distribuir gratuitamente aos motoristas um pequeno guia vermelho, de 400 páginas, com um grande número de informações práticas. Dentre elas, como trocar um pneu, onde abastecer o carro, onde comer e dormir. Nos anos 20, suas páginas passaram a abrir espaço para a classificação de restaurantes e, depois, dos hotéis.

Começava, assim, a história do guia MICHELIN.


Janela para a gastronomia mundial

Respeitando as especialidades locais, tradições regionais e know-how nacional, o guia MICHELIN é a vitrine da gastronomia mundial em todas as regiões em que está presente. Com seu método de seleção homogêneo e sem equivalentes, revela, ano após ano, o dinamismo da gastronomia de um país, região ou cidade, evidenciando novas tendências culinárias e talentos.

Atualmente, sua seleção é composta por
29 guias, que cobrem 28 países
em 4 continentes e reúnem mais de
45 mil estabelecimentos no mundo.

um guia ao alcance de todos

Cada leitor encontra no guia MICHELIN o hotel ou o restaurante que corresponde à sua expectativa. Em todas as categorias de conforto, preço, estilo e tipo de cozinha, a publicação oferece uma ampla seleção de estabelecimentos, rigorosamente testados por inspetores profissionais e anônimos.

Sempre acompanhando a evolução do mundo e consciente da importância de se adaptar a um estilo de vida cada vez mais conectado, o guia MICHELIN é hoje uma ferramenta multimodal e mais acessível do que nunca: além da tradicional versão impressa, pode ser consultado via internet, por celular ou smartphone, oferecendo as facilidades dos recursos digitais, inclusive localização por sistema GPS.

uma linguagem prática e internacional

Para ajudar o leitor na escolha, desde 1900, o guia MICHELIN optou por usar uma “linguagem” universal de símbolos, que podem ser compreendidos em qualquer lugar do mundo. Eles fornecem indicações extremamente precisas como, por exemplo, serviços disponíveis, além de informações de ordem geral, que servem de base para classificar os estabelecimentos selecionados, em função do nível de conforto ou da qualidade da culinária.

quem faz o guia michelin ?

Os profissionais de hotelaria e dos restaurantes

Defensores da qualidade no dia a dia, são eles que, com seu profissionalismo, sua busca pela excelência e sua determinação de proporcionar satisfação aos clientes, possibilitam a existência do guia MICHELIN e a renovação da seleção ano após ano.

Os inspetores do guia Michelin

Ligados ao setor de hotelaria/ restaurantes, formados em escolas de hotelaria, os inspetores são funcionários da Michelin, sem vínculo algum com os estabelecimentos visitados. Sempre à procura de novos restaurantes de qualidade, experimentam, no seu cotidiano, todos os tipos de estabelecimentos e estilos de cozinha.

Anônimos (como clientes comuns, sempre pagam sua conta), avaliam cada prato, baseando-se em cinco critérios: a qualidade dos produtos utilizados, a personalidade da cozinha, a técnica de cozimento e a harmonização dos sabores, a relação preço e qualidade e, também, a regularidade.

A cada ano, os inspetores percorrem, em média, 30.000 km, fazem cerca de 250 refeições em restaurantes e se hospedam em mais de 160 hotéis, a fim de selecionarem os melhores estabelecimentos de todas as categorias de conforto e preço. Os melhores restaurantes são destacados com Bib Gourmand (cozinha de qualidade e de preço razoável) ou Estrelas , com base, exclusivamente, na qualidade da cozinha, em atribuições sempre decididas em colegiado.

O cliente

Extremamente precioso para o guia MICHELIN, o leitor representa uma importante fonte de informações. São cerca de 45 mil cartas e e-mails enviados à Michelin por ano, que ajudam os inspetores a organizarem suas visitas e aprimorarem cada vez mais a qualidade da seleção. As avaliações também poderão ser realizadas pelo APP do guia MICHELIN.

Copyright © 2015 MICHELIN todos os direitos reservados