fevereiro/2014 Michelin alerta sobre importância da inspeção preventiva dos pneus antes de viajar.

Com a chegada da Semana Santa, milhares de veículos movimentam estradas de todo o país e, por conta disso, o cuidado deve ser redobrado.

A chegada do feriado prolongado é uma ótima oportunidade para pegar a estrada e curtir o descanso com a família e os amigos, mas antes é preciso atenção com itens fundamentais do sistema de segurança do automóvel.

A aderência de um veículo é proporcionada exclusivamente pelo pneu, único ponto de contato do carro com o solo. Ele garante as ações fundamentais da condução, como manter a trajetória desejada ou transmitir as forças de frenagem e aceleração. “Se a aderência não existisse, os veículos não poderiam fazer curvas e nem se mover, ficariam patinando no mesmo lugar. E quando em movimento, eles não poderiam parar”, explica Flávio Santana, engenheiro e gerente de produtos da Michelin para América o Sul.

O nível de aderência depende do tipo de pneu (dimensão, tecnologia, área de contato com o piso, pressão utilizada, etc.), do piso (tipo de asfalto, terra, misto, cascalhos, pedras), do veículo (suspensão, ABS, ESP) e de fatores externos que podem influenciar os itens anteriores, como temperatura, umidade e condições climáticas. Por isso, além da prudência na direção, é imprescindível realizar os procedimentos de manutenção dos pneus “É preciso atenção nas frenagens e curvas, principalmente se o piso estiver molhado. Os pneus devem estar sempre em perfeito estado, levando em conta a calibragem e vida útil”, afirma Santana.

Verificação do estado dos pneus

Para verificar o desgaste dos pneus, não é preciso ser especialista.
Os fabricantes desenvolveram o TWI – Tread Wear Indicator –, que em português significa “Indicador de Desgaste da Banda de Rodagem”, com uma pequena seta ou a própria sigla na lateral do pneu. Nos pneus Michelin eles são indicados pelo Boneco da Michelin desenhado próximo da banda de rodagem dos pneus. Seguindo estes indicadores, há uma área elevada entre os sulcos. A profundidade mínima legal é de 1,6mm (altura de índice de desgaste), se o pneu estiver no mesmo nível da elevação, está na hora de trocar.


Atenção à calibragem

Vale lembrar que utilizar a pressão correta nos pneus também é fundamental. A pressão adequada permite limitar os riscos de perda de controle do veículo, de estouros, desgastes prematuros e aumento do consumo de combustível. Independentemente do veículo, a calibragem deve ser feita quinzenalmente, ou antes de pegar a estrada, de acordo com o Manual do Proprietário. “O estepe também precisa estar em boas condições, para ser utilizado em qualquer emergência”, completa o engenheiro.
 

A missão da Michelin, empresa líder na indústria de pneus, é contribuir para a melhoria da mobilidade das pessoas e das mercadorias de forma sustentável. Para isso, o Grupo Michelin fabrica e comercializa pneus para todos os tipos de veículos, de aviões a automóveis, passando pelos pneus para motocicletas e bicicletas, pneus para os equipamentos de mineração, de terraplanagem e de uso agrícola, assim como pneus para ônibus e caminhões. Michelin propõe também serviços informatizados de ajuda à mobilidade (ViaMichelin.com) e edita guias de turismo, de hotelaria e de gastronomia, assim como mapas e atlas rodoviários. O Grupo Michelin, cuja sede se localiza na cidade de Clermont-Ferrand, França, está presente em mais de 170 países, emprega 111.200 pessoas e tem 67 unidades de produção em 17 países diferentes. (www.michelin.com.br). O Grupo possui um Centro de Tecnologia encarregado pela pesquisa e pelo desenvolvimento com operações na Europa, na América do Norte e na Ásia.
 

CONTATOS PARA A IMPRENSA
Renata Guedes – (55 21) 3621-4393 – renata.guedes@br.michelin.com
Glauce Ferman – (55 21) 3621-4870 – glauce.ferman@br.michelin.com

 Voltar
 

Copyright © 2017 MICHELIN todos os direitos reservados