1832 - Onde tudo começou


Em Clermont-Ferrand, na França, os primos Aristide Barbier e Nicolas Edouard Daubrée abrem uma pequena fábrica de máquinas agrícolas e bombas. Ao ver sua mulher usando borracha vulcanizada para fazer bolas infantis, Aristide logo percebe o potencial do material para a indústria e passa a utilizá-la na fabricação de juntas, correias, válvulas e tubos.

michelinLogo

1889 - Surge a Sociedade Michelin


Edouard e André Michelin assumem o negócio fundado por seu avô, Aristide, e seu primo Nicolas. A empresa passa a se chamar “Société Michelin e Cie.” e começa a fabricar apenas pastilhas de freio.

1891 - Nasce a invenção que mudaria o mundo de pneus


Após ter um pneu furado, um ciclista para na fábrica da Michelin em busca de ajuda. Edouard, que até então fabricava apenas pastilhas de freio, enxergou ali uma ótima oportunidade. Na época, trocar um pneu levava horas e precisava ser feito por um profissional. Sua solução foi criar o pneu desmontável, que podia ser trocado por qualquer pessoa em apenas meia hora.

1891 - A invenção conquista o mundo


O ciclista Charles Terront compete, e vence, a corrida Paris Brest Paris, sendo o único a utilizar os novos pneus Michelin. A invenção logo conquista o público e no ano seguinte, mais de 10.000 ciclistas rodam com pneus Michelin.

1894 - Novos pneus para carruagens melhoram a mobilidade


São criados os pneus para equipar carruagens com o intuito de tornar as viagens mais confortáveis e silenciosas.

1895 - Pneus para automóveis inovam o mercado


Com a criação do automóvel, Edouard apresenta mais uma inovação ao mundo: o Éclair, um automóvel idealizado e fabricado pela Michelin, equipado com os seus pneus.

1898 - Nasce o Boneco Michelin


De duas pilhas altas de pneus os irmãos Michelin tiveram a ideia de criar a imagem de um boneco que pudesse representar a marca. Com a ajuda do desenhista O’Galop, nasce a primeira versão do Boneco Michelin.

1900 - É criado o Guia Vermelho Michelin


Dispostos a contribuir com o desenvolvimento da mobilidade, Edouard e André passam a distribuir gratuitamente um pequeno guia vermelho com informações práticas aos viajantes, como onde abastecer, dormir ou comer e também como trocar um pneu. Nascia ali a história do Guia Michelin.

michelinLogo
≪ ≫

1903 / 1910 – A tecnologia MICHELIN se espalha pelo mundo


O mundo está crescendo rapidamente. Novas tecnologias estão surgindo. E uma das maiores expansões acontece na área dos transportes. Percebendo este potencial, a Michelin rapidamente instala suas unidades fabris em grandes centros da indústria automobilística, tanto na Europa quanto na América do Norte. Ao mesmo tempo, também passa a fabricar pneus para motocicletas e começa a investir na recém-surgida e promissora aviação.

1911 / 1912 – Segurança já era o foco da empresa


A Michelin conquista a primeira grande vitória em busca de maior segurança nas estradas francesas: a adoção da sinalização de “quilometragem das estradas”. Além disso, a empresa inventa a roda de aço desmontável, o que permite a adoção de mais um equipamento de segurança: o estepe. Surge, também, o “departamento de informações para viagens automobilísticas”, uma grande rede social que permite o intercâmbio de informações sobre itinerários rodoviários entre a Michelin e seus leitores.

1913 – Chegada na América Latina


A Michelin inicia sua presença comercial na Argentina, na cidade de Buenos Aires.

1914 / 1918 – Aviação era um grande desafio na época


Além de fabricar quase 2 mil aviões para a Primeira Guerra Mundial, a Michelin participa da construção da primeira pista de concreto do mundo, permitindo a decolagem de aviões mesmo em dias chuvosos. Com o aumento do uso de aviões, surge também o primeiro pneu de borracha negra e com sulcos, o que aumenta a aderência e diminui o desgaste do pneu.

1919 / 1926 – Uma nova largada foi dada


Após o fim da Primeira Guerra Mundial, a expansão da empresa é estimulada pelo rápido progresso da indústria automobilística. Impulsionada pelo sucesso dos Guias Vermelhos, a Michelin lança o primeiro Guia Turístico (Bretanha) e o Guia da Condecoração Estrela de Boa Mesa.

1927 - Início da História no Brasil


Aqui começa a história da Michelin no Brasil. Na cidade de São Paulo é fundada a primeira agência comercial da empresa. Ainda não se sabia, mas esse foi o primeiro passo para a conquista do mercado brasileiro, o maior para Michelin na América do Sul.

1928 / 1938 – Uma década de inovações


Os anos 30 são marcados por grandes inovações, incluindo a implementação do “Metalic”, primeiro pneu a unir a borracha ao fio de aço, que permite compreender melhor o funcionamento do pneu, e se torna uma etapa fundamental para o desenvolvimento do pneu radial. Surgiram o pneu com câmara de ar embutida, precursor do pneu sem câmara; o “Super Confort”, que podia percorrer 30.000 km; o “Super Conforto Stop”, com ranhuras de aderência que reduziam os riscos de derrapagem em pista molhada; e o “Piloto”, com perfil mais alto, proporcionando maior aderência mesmo em alta velocidade.

1939 / 1945 – Começa a surgir o pneu do futuro


Durante a guerra, as fábricas reduzem sua produção. Diante da falta de matérias-primas, a Michelin dedica-se à pesquisa de produtos de substituição e, ao mesmo tempo, à fabricação de artigos de primeira necessidade. As pesquisas sobre o pneu de estrutura radial desenvolvem-se secretamente durante a guerra, abrindo caminho para a chegada do pneu do futuro.

1946 / 1954 – Chega ao mercado o pneu Radial


Uma verdadeira revolução tecnológica, o pneu radial é caracterizado por um topo que funciona independentemente das laterais e uma lona-carcaça com filetes de aço dispostos perpendicularmente na banda de rodagem. Revolucionando completamente a concepção técnica dos pneus, esta nova arquitetura favorece o conforto, a durabilidade e o alinhamento do veículo na pista. Nesta década, surge em Paris o primeiro metrô sobre pneus. A inovação, que proporciona maior conforto aos passageiros é implementada, indo em seguida para Montreal, Tóquio, México, Santiago, Lyon e outras cidades.

1955 – Mais uma geração assume


François Michelin assume como co-gerente da empresa.

1955 / 1969 – 15 fábricas em 15 anos


Para atender às necessidades crescentes do mercado de pneus, a Michelin passa a realizar investimentos consideráveis na indústria. Este importante progresso industrial responde ao impressionante desenvolvimento das instalações comerciais: a empresa passa a vender seus produtos em mais de 140 países do mundo. A maioria dos fabricantes de automóveis europeus adota a solução do pneu radial. Os carros de passeio produzidos em série adotam o sistema “tubeless”, onde a câmara de ar, responsável por pneus furados, é substituída por um revestimento de borracha integrado ao pneu.

1970 / 1980 – A comprovação da superioridade


O pneu radial MICHELIN torna-se campeão mundial de Fórmula 1 em parceira com a Ferrari, e leva a empresa a instalar fábricas no Canadá e nos Estados Unidos, além de continuar seu desenvolvimento na Europa. Pela primeira vez, o pneu e seu aro de roda são produzidos juntos, o que proporciona uma aderência excepcional à estrada.

michelinLogo
≪ ≫

1981 – Primeira fábrica no Brasil é construída


A Michelin constrói suas primeiras fábricas em solo nacional e expande seu desenvolvimento para praticamente todos os continentes, investindo significativamente em inovação. A primeira unidade foi implantada na cidade do Rio de Janeiro, para fabricação de pneus de carga. Logo em seguida uma unidade de fabricação de fios e cabos de aço é construída na cidade de Itatiaia, também no estado do Rio.

1982 / 1990 – Inovação em todas as categorias


O grande marco da década é a aquisição da super calculadora Cray que influenciou todas as categorias de pneus. Surgem o “pneu verde” e o “Sistema PAX” para os veículos de passeio e caminhonete; a linha “Energy” para veículos pesados, metrô e bonde; o pneu radial para motos; além do primeiro pneu sem câmara para mountain bikes. A introdução do primeiro pneu de carcaça radial na aviação, chamado MICHELIN Air X, muito superior ao pneu diagonal convencional. Ao mesmo tempo, a Michelin adquire grandes redes na Europa e nos Estados Unidos e também passa a produzir rodas, inovações nos sistemas de suspensão e de ligação ao solo, além de oferecer serviços como recauchutagem.

1991 – A família Michelin continua a frente dos negócios


Edouard Michelin é nomeado Diretor-Presidente da Empresa, ao lado de seu pai, François Michelin.

1999 - Expansão visando o Mercado Nacional


Fazendo uma expansão na sua unidade industrial, na cidade de Itatiaia, é construída a primeira fábrica de pneus para carros de passeio e caminhonetes no Brasil.

michelinLogo
≪ ≫

2000 – Além do mundo dos pneus


A linha Michelin Lifestyle é lançada para desenvolver novas gamas de produtos relacionados à mobilidade ou ao universo do Boneco Michelin.

2001 / 2003 – Grandes inovações para grandes pneus


É desenvolvido o maior pneu de terraplanagem e mineração do mundo, além do primeiro pneu agrícola do mundo com a tecnologia de baixa compactação do solo, que agride menos o solo durante a rodagem.

2004 – A melhor maneira de ir mais longe


A empresa adota uma assinatura mundial que ilustra seu engajamento em favor de uma melhor mobilidade “MICHELIN, a melhor maneira de ir mais longe”.

2005 – Um novo presidente assume


Michel Rollier assume como co-gerente do Grupo Michelin.

2006 – Campanha para todo o mundo


Pela primeira vez, a Michelin lança uma campanha de comunicação publicitária mundial.

2008 – Pneus gigantes fabricados no Brasil


É inaugurada a fábrica de pneus de mineração e terraplenagem, dessa vez com uma expansão na sua unidade industrial de Campo Grande, cidade do Rio de Janeiro.

2009 – Os guias chegam à América do Sul


É lançado o Guia Verde Michelin do Rio de Janeiro, o primeiro destino sul americano da coleção internacional.

2010 – Uma melhor mobilidade em vista


Acontece a 10ª edição do evento Michelin Challenge Bibendum no Rio de Janeiro, a primeira vez na América do Sul.

2011 – Mais Guias são lançados por aqui


São lançados os Guias Verdes Michelin do Brasil, Colômbia, Argentina e Peru.

2012 – Um novo e forte nome no comando da empresa


Jean-Dominique Senard assume a presidência da empresa.

2013 – Centenário na Argentina


Michelin completa 100 anos de presença comercial na Argentina e lança o Guia Turístico “Ruta 40/Argentina”.

2014 – Uma importante aquisição e inovação nas pistas


Michelin Compra a Sascar , líder brasileira na gestão digital de frotas e na garantia da segurança das mercadorias transportadas. A marca também fecha uma parceira para equipar os carros da inovadora Fórmula E, competição de carros elétricos, além de retornar com o patrocínio a maior competição de motovelocidade do mundo, o Moto GP.

2015 – Primeiro Guia Gastronômico


Lançamento do primeiro Guia Michelin gastronômico na América do Sul. O Guia Michelin Rio de Janeiro & São Paulo.

2016 – Produção nacional e uma nova aquisição de peso


Início da produção de pneus agrícolas na fábrica de Campo Grande, no Rio de Janeiro. A Levorin, fabricante brasileira de pneus de motocicletas e bicicletas, é comprada pelo Grupo Michelin.

2017 – Nova identidade visual


Uma nova identidade visual é criada para a marca. A partir daqui a Michelin passa a utilizar duas logomarcas, uma corporativa e uma comercial, além de mudar o visual do Boneco da Michelin, que continua sendo um ícone marcante.

michelinLogo